Eu penso (também) assim:

Desejaremos, um dia, o que vivemos: realidade fugaz dos sentimentos,
cheios de paz, de gozo e amor insano!



26 de março de 2009

Teu porto é aqui!

Filha - Selmita, cuida da mamãe pra mim...
Selma - Pode deixar, preta, ela vai ficar bem...
Eu - Hum, ela cuida de mim e de vc, quem cuida?
Filha - Deus, ora! Ou tu vai deixar de rezar por mim???
Filha - Por favor, né??? e mãããee, pára de chorar...
Eu - Te amo, filha, vai com Deus! E não esquece, teu porto, é aqui!

Lembrei do meu pai, que sempre me dizia:
“Não seja egoísta filha. Criamos os filhos para o mundo, não para nós.
Lembra quando você casou e foi morar em outra cidade?”

"Uma mãe e sua filha estavam a caminhar pela praia. Num certo ponto, a menina disse:
- Como se faz para mantermos um amor?
A mãe olhou carinhosamente para sua filha e respondeu:
- Pegue um pouco de areia e feche sua mão com toda força.
A menina assim o fez e reparou que quanto mais forte ela apertava a areia com a mão, com mais velocidade a areia escapava.
- Mãe, mas assim a areia cai!
- Eu sei, agora abra completamente a mão.
A menina assim fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que estava em sua mão.
- Assim também não consigo mantê-la na minha mão!
E a mãe, sempre a sorrir disse-lhe:
- Agora, pegue outra vez um pouco de areia e mantenha a mão semi–aberta, como se fosse uma concha, bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade.
A menina experimenta e vê que a areia não escapa da sua mão e está protegida do vento.
- É assim que se faz durar um amor! - disse a mãe - Se você quer muito, alguma coisa, deixe-a livre.
A liberdade é o espaço que a felicidade precisa."

15 comentários:

Cecília disse...

Crys!!!
Que bela história!!!

Imagio como você se sentiu, mas o que seu pai diz é verdade, mainha fala sempre isso. Eu não sei se vou me lembrar disso quando for mãe...

Beião!!!!
Tenha um ótimo final de semana!!!!!


Eitaaaaaaaa!!!
Sou a primeira!!!!

Paulo R. Diesel disse...

Tão simples e
tão complicado, não é Crys

Abraço

Grace Olsson disse...

OI, PRINCESA

Sem liberdade nada evolui, empaca. beijos e dias felizes
graceolsson.com/blog

Shica disse...

Manazinha, se é pro bem dela, é pro teu melhor ainda, né? O mundo é grande, mas não o suficiente pra separar o amor ;-) Bjo, fica bem.

disse...

pois é crys.. filhos sao do mundo assim como nós mesmos...
qdo minha filha começou a ter o seu natural bater de asas eu estranhei um pouco.. a casa mais vazia.. sem os sons que ela produz.. sem o rastro da bagunça que lhe é tao peculiar...o cochilo no sofa...
eu ainda tenho isso de vez em qdo.. qdo ela vem e fica no porto seguro que é aqui.. e ela sabe disso..e sabe que pode contar sempre...
senti muita falta no começo.. ano passado ate pisei na bola por conta disso... havia sido o primeiro aniversario que ela passava longe de meus olhos... ai ja viu...minha mae chorando a ausencia dela.. eu trabalhando como doida para dar conta de tudo.. sem vida mesmo.. dai que com a mistura de meus proprios sentimentos na epoca (uma zona diga-se de passagem)eu errei.. e errei feio em relaçao a ela...
e qdo ela voltou (coberta de razao) e com um medo danado de que o seu amor por mim balançasse... eu aprendi para nunca mais repetir a liçao...
bom é isso ai.. sua filhota esta certa Deus protege sempre! mas nao custa nada pedir reforço extra a Ele (eu faço isso todos os dias)
um gde beijo e so aprendemos a liberdade qdo libertamos para nos libertar..
um beijo enorme e otimo final de semana...
se cuida.. fique sempre na bençao Dele

dácio jaegger disse...

A gravitar em nosso entorno, principalmente filhos, temos também pais e tios, amigos. Os filhos os queremos dependentes, porém independentes. Seu amor e o nosso são dependentes. Muita gente se refere a egoismo para fustigar quem os deseja sempre a puxar a barra da saia. Mas não o é. É um desejo natural de quem os pôs no mundo, os orientou a entendê-lo e os soltará para seus livres vôos. Mesmo assim, o ser humano é gregário por natureza e pronto! Lindo é o amor. Beijos

Jota Effe Esse disse...

Oh doce leberdade. até quando esperarei por ti? Meu beijo.

Miguel S. G. Chammas disse...

Miga, sabendo o motivo dessahistoria e me lembrando que eu tambem te disse que os filhos são criados para o mundo, percebo a tua dor, mas sei ytambem que ela se acalmara e que vc verá que a vida continua.
Filhos serão sempre filhos, independente da distancia.

D. Lê disse...

porto é parto, depois o mundo

Anônimo disse...

Não sei o que é ver um filho partir, voar.
Eu sei o que é partir.
Parti. Voei.
Meus pais assistiram o meu voo.
Sofremos. Crescemos.
Aprendi que se amor tem dimensão, a dimensão do amor é exatamente a dimensão da saudade que eu sentia deles.
Aprendi que o afeto amadurecido respeita, liberta.
É justo assim que percebo, por exemplo, o afeto que tenho por você e por D. Lê.
Um beijo, minha amiga, em seu coração!

Lela

Karine Leão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karine Leão disse...

Crys, querida!

Gilbran diz que vossos filhos não são vossos filhos, são flechas a serem lançadas...


Vim matar as saudades do seu cantinho e dizer-te que deixei um desafio para vc no Ponto!

Saudades!

Beijo Karinhoso,

Claudinha ੴ disse...

Mas que linda lição! Eu creio plenamente nisto! Adorei o que seu pai disse, foi mais ou menos assim que minha mãe me falou no dia em que me casei e fui embora de casa...
Um beijo!

Beti Timm disse...

Crys,
Ninguém tinha definido o amor com tanta clareza! Serve para todos os tipos de amores. A liberdade, é que sustenta um amor, uma relação. Ao deixarmos a pessoa amada voar, temos certeza que ela voltará. Você transformou em palavras o que sinto e nunca consegui definir!

Beijinhos

NELSON disse...

Se quero ter tenho que dar liberdade...se quero livre tenho o amor colado a mim...ah esse dilema infinito que acaba sempre ao começar de novo...GRANDE BEIJO...SAUDADES..