Eu penso (também) assim:

Desejaremos, um dia, o que vivemos: realidade fugaz dos sentimentos,
cheios de paz, de gozo e amor insano!



2 de abril de 2008

Saudades de um amigo!


Essa madrugada, acordei tomada de amores e saudades. Ele foi, é, e sempre será um dos meus mais queridos amigos.
Éramos tão díspares, que até hoje não sei como nos tornamos amigos.
Ele era remista; eu, paysandu. Ele curtia os Beatles; eu, os Rolings Stones. Ele era centrado; eu, intempestiva. Opostos que se atraíam.
Foi ele quem avalizou meu primeiro aluguel, assim que cheguei de Manaus. "Não te quero mais longe de mim" , foi a condição imposta por ele.
Foi ele quem, quando soube dos problemas sérios de saúde do meu pai, me emprestou uma pequena fortuna (sem pedir garantia alguma).
Foi ele quem me amparou, quando perdi meu primeiro filho, seu afilhado. Ele disse, 'Deus tira um e dá dois', ele errou, Deus me deu três filhos maravilhosos.
Foi ele quem chorou junto comigo, quando meu pai partiu.
Foi ele um dos responsáveis por minha paixão à leitura. Ele nunca emprestava seus livros, ele comprava dois e me dava um. Costumava dizer: "Livro, revólver e mulher não se reparte."Foi ele quem insistiu para criarmos o Clube do Livro, pena que não deu certo.
Foi ele quem alicerçou a minha amizade com a Cecília – sua companheira, amiga e confidente. Grande Ce!
Vivíamos numa eterna e saudável disputa. Mas não tinha, nunca teve combate.
É incrível, mas muita gente não acredita, NA AMIZADE ENTRE UM HOMEM E UMA MULHER.
Hoje, 2 de abril. Três meses se passaram. Minha vontade era mergulhar nas águas mornas da Praia de Mosqueiro. Quem sabe elas não levariam pra bem longe a saudade, que há dentro de mim.

4 comentários:

dácio jaegger disse...

Se foi ele, querida Crys, o principal responsável
pela incrível amizade entre um homem e uma mulher,
não menos foi a amiga capaz de ajudar a conduzir
a duas mãos, duas cabeças, varias idéias e contra idéias,
o edificio sólido que ergueram desde os idos tempos
da sua incipiente manaura condição. Ela é, hoje manauara-belenense, principalmente pela sua
expontaneidade alegre, não comedida, doce, com pitadas de sal, expansiva,
apimentada, fresca, amorosa, cocota, sinceridade a sair pelos olhos e dedos,
amizade aos borbotões. Não deixe a saudade ser levada pelas águas,
use a água das suas virtudes para aspergi-la sobre seus circundantes
daí e dali. Continue a fazer sua parte em homenagem ao amigo da saudade e a todos os outros. Beijo

benechaves disse...

Oi, amiga: bela homenagem a um amigo. E saudades, sempre elas a invadir nossos corações e mentes. Legal esse seu novo espaço. O 'sexo x lula' tá uma beleza de diálogo entre a rivalidade masculina e feminina. Apareça sempre, gosto de teus comentários.

Um beijo de saudade...

QuincasB disse...

saudade é bom, só lembro uma coisa melhor do q sentir saudade

Marta disse...

Todos os meus melhores amigos são homens. Acredito sim em amizade entre homem e mulher. abraço e bom dia