Eu penso (também) assim:

Desejaremos, um dia, o que vivemos: realidade fugaz dos sentimentos,
cheios de paz, de gozo e amor insano!



24 de novembro de 2010

Uma canção só pra alimentar a alma...

pra ti,
que me tem sido amizade em tantos sorrisos e lágrimas!

"chuva vai cair dos meus olhos em ti..."

8 comentários:

Miguel S. G. Chammas disse...

Alvissáras, enfim vc reaparece. Mesmo com as canções se entrelaçando, adorei te ver ativa.
Manda notícias.
Te amamos

Dira disse...

Ow amiga... bom quando a gente ia e vinha.. eitcha saudade de todo mundo...

Dira disse...

Ouvindo a canção que postou, fico aqui pensando como as relações humanas são frágeis. Saudade de quando eramos todos bons e "eternos" amigos. Pena que restamos nós... e o laço que é verdadeiro. Saudades de vc.

silvioafonso disse...

.

Atrapalhado entre consoantes
e vogais eu, esforçado que
sou, tiro deste mergulho o
nariz para fora e respiro;
- Quanta beleza existe aqui!

silvioafonso





.

Paulo disse...

Linda música. Bem escolhida para a ocasião...

silvioafonso disse...

.

Jobin e Vinícius são,
ainda, o feijão com
arroz, o café com
leite, o pão com
manteiga de nossas
mesas...

silvioafonso




.

Luma Rosa disse...

Da música, só não concordo "todo grande amor só é bem grande se for triste" ;) Não acho que tem que ser triste para ser grande! Beijus,

Juℓi Ribeiro disse...

FELIZ NATAL!

Que todos os dias sejam Natal
em sua vida.
Um abraço no seu coração.


"Soneto de Natal e estrelas"


Sonhando de olhos abertos com a felicidade
Uma estrela feliz derramou sonhos e luz
Aquecendo a criança envolta na imensa saudade
A esperança sorri, a paz abraça e reluz...

Uma oração é ouvida por toda a eternidade
Nas noites de dezembro embala o menino Jesus
“Paz na terra aos homens de boa vontade”.
O Natal menino renasce unindo a humanidade.

Nas estrelas acorda um pastor e poeta
E derrama sobre a terra luz e poesia
Um punhado de estrelas desperta!

Pegando carona nas asas de uma borboleta
Reflete nos sonhos do adulto que dormia
As promessas de amor esquecidas na gaveta...

-Juli Ribeiro-

Soneto publicado no Recanto das Letras em 18/12/2010
Código do texto: T2678636