Eu penso (também) assim:

Desejaremos, um dia, o que vivemos: realidade fugaz dos sentimentos,
cheios de paz, de gozo e amor insano!



26 de março de 2008

Eu gosto... de gostar!

É como uma mágica. Está um dia ensolarado, quente é verdade, a tarde surge e repentinamente uma grande nuvem carregada e lá vem ela... a chuva que alivia o calor, que limpa as ruas, que rega as mangueiras... eu gosto!!
Eu paro pra olhar minha cidade. Procuro entender se, daqui da sacada do meu quarto, eu consigo achar as respostas no mundo lá fora.
Adoro a noite. Os pingos da chuva costumam se confundir com as luzes da rua e me dão a sensação de que tudo está girando.
A impressão que me dá é que é um alerta. Todos sabem o que se passa comigo.
Diante do espelho não me reconheço. Meus cabelos, são a prova que alguma coisa mudou.
Me acho uma estranha. Sinto medo.
Mas gosto da minha imagem refletida.
A cabeça não acompanhar o coração: "Como esquecer tudo?”, fico a indagar-me.
Será que era o certo? E eu me sinto outra.
Como não sentir falta das coisas que eram tão intensas, fortes e por dá falta de outras coisas sem importância.
Sinto a brisa que molha novamente meu rosto.
Minha mente insiste que este é o caminho certo e que tudo valeu a pena.
Mas o coração, como diz uma amiga, esse "bipolar esquizofrênico", dói demais.
E me pergunto: o que posso fazer, afinal?E as luzes junto com os pingos da chuva, respondem: “Pensa menos e não te preocupa onde queres chegar.

12 comentários:

QuincasB disse...

é q não tem "a" no teu teclado, hem babe?

Paulo R Diesel disse...

Ver a tua cidade através do artigo é sensacional. Agora não preciso nem visitar.
Bj.

Tânia disse...

A delicia não é somente saber onde quer chegar, mas prceber que pode-se ir além!

Show de bola seu texto doce Crys...Show de bol mesmo!

Beijão querida.

Dora disse...

Nossa! menina! Como está filosófic, romântica, reflexiva neste texto! Pensamentos, questionamentos, desejos, dúvidas...
Gostei muito, Crys. Desse seu devaneio bem melancólico. Gostei!
Beijos. Saudades.
Dora

sôdoida disse...

texte

sôdoida disse...

conseguiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!! :-D
era só entrar com o login do google, tsc... rs
bom, atualmente eu ando gostando de TUDO! rs. Então, realmente, pouco importa pra onde eu vou, importa é como eu tô indo. Né??? rs :-S
Bjooooooooooooooooos, manazinha!

Anônimo disse...

Que eu ri com o coração bipolar esquizofrênico, vc já sabe. Mas, xô lhe falar, de todas as denominações que já li, esta foi em disparada a melhor. Acho que o meu coração também é um bipolar esquizofrênico. Afe! É bom manter distância de coração psiquiatra! rs...
Beijo grande, amiga.


Lela

Paulo disse...

Oi Crys,
Ficou muito legal e bonito seu novo blog.
Seus textos como sempre são muito bonitos e trazem uma mensagem muito interessante para que possamos refletir a cada dia que passa.
Bom final de semana,
Um Abraço
Paulo
http://visao-masculina.zip.net

gabriel disse...

qd eu comentar na shi, eu comento aqui

loba disse...

gostei do seu gostar. e vi seu mundo pelo seu olhar.
texto lindo, lindo! me fez ter vontade de voltar a ver/escrever as coisas simples da vida.
às vezes a gente se perde em querer muito mais do que deveria, né?
beijos querida.

Cherry disse...

Filosofa Ro, (rs)
Eu sei q somos fruto do meio, que a cidade onde vivemos tem peso enorme e tal, mas penso q a resposta está dentro de nós. É hora de fechar a janela e se voltar pra dentro pra decidir pra onde ir... E se vc quer (ou tem?) q ir a algum lugar é pq onde está não te cabe mais... Enfim...
Nem sempre é fácil desfazer as amarras tão longas do passado, mais se é isso q vc quer (ou tem?) é bom se apressar, ou perderá esse bonde chamado desejo (kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. tá, eu avacalhei nas últimas 3 palavras... kkkkkkkkkkkkkkkkk Mais o resto foi sério!)
Beijos!!!

Zeca disse...

Crys,

é bem por isso que eu gosto de gostar daquí. Às vezes você nos leva em viagens gostosas, sentindo o frescor da gota da chuva no rosto, o cheiro de umidade nas folhas da mangueira, a iluminação embaçada da cidade sob a chuva miúda. E essas coisas a gente não esquece. Nem rápido, nem com o tempo. São imagens (viagens) que ficam e que nos inundam de bem querer. Mesmo sem saber aonde quer chegar, saiba de uma coisa: nessas viagens chegamos juntos.

Beijos. Carinho.